Em tempos de escassez de água o que mais temos ouvido falar é sobre o desperdício de água e, principalmente, quais soluções devem ser aplicadas para reduzir o consumo. Campanhas de conscientização sobre a importância da água e dicas para economizar água são veiculadas a todo momento, mas o que não ouvimos falar muito é que os grandes responsáveis pelo consumo desenfreado são a indústria e o agronegócio.

Juntos, essas duas potências são responsáveis por mais de 70% do consumo de água no país. Veja a seguir como a indústria e o agronegócio são capazes de consumir mais água do que toda população brasileira.

Desperdício de água

Desperdício de água

 

O consumo de água na indústria e no agronegócio

Praticamente todos os produtos que consumimos precisam de água para a sua produção. Para se ter uma idéia, durante a produção de um litro de gasolina são necessários 10 litros de água. E com a produção do etanol é ainda pior, são 600 litros de água para um quilo de cana-de-açúcar. Ou seja, quanto maior o número de carros rodando nas ruas, maior será o consumo de combustível e, consequentemente, de água. O consumo também é consideravelmente alto para produzir itens como o aço, são usado 95 litros de água para um quilo da matéria, e para produção de um quilo de papel, são necessários 324 litros de água.

O desperdício de água na agricultura também é grande: apenas 40% da água desviada é efetivamente utilizada na irrigação. O desperdício gira em torno de 60%, porque se aplica água em excesso, fora do período de necessidade da planta, em horários de maior evaporação do dia, pelo uso de técnicas de irrigação inadequadas ou, ainda, pela falta de manutenção desses sistemas de irrigação.

Em termos globais, a indústria é responsável por 22% de toda a água doce consumida. Essa porcentagem é muito maior em países ricos – 59% – e bem menor nos países pobres – apenas 8%.

Alguns setores são especialmente perdulários nesse quesito. Por outro lado, indústrias de muitos países estão conseguindo usar a água com mais eficiência. Nesse sentido, o Japão é exemplo. Em 1965, o país utilizava cerca de 49 milhões de litros para produzir 1 milhão de dólares em mercadorias. Em 1989, o volume necessário para o mesmo desempenho caiu para 13 milhões de litros.

No Brasil, a maior parte das grandes indústrias tem programas de reaproveitamento de água, uma vez que ela se torna cada vez mais rara e cara. Dentro dessa realidade, a Trisoft é quase um caso inédito. Isso porque há quase 20 anos que a empresa não usa nenhuma gota em sua produção. E vem mostrando, ano após ano, que produzir de forma sustentável é possível.

Mas como a indústria e o agronegócio podem evitar o desperdício de água? Antes de mais nada, são necessários investimentos em controle e fiscalização dessas atividades, pois infelizmente, nem todas as empresas têm a mesma responsabilidade sustentável da Trisoft. Porém, você como consumidor também pode ajudar a combater o desperdício indiretamente. Na hora de escolher um produto opte por aquele que utiliza menos água ou nenhuma quantidade do recurso. Pense nisso!

 

A Trisoft e a água

Trisoft tem uma vasta gama de produtos feitos a partir da lã de PET e que não utiliza uma gota d’água durante o processo de fabricação. Eles servem de base para a produção de travesseiros e protetoresmantas e fibrasisolamento termoacústico e não tecidos agulhados. Alguns exemplos de utilização dos produtos da Trisoft você pode encontrar em protetores de colchão,  travesseiros, agulhado calandrado para indústria calçadista, carpetes automobilísticos,  filtragens, entretelas, subcoberturas de telhados industriais, comerciais e residenciais,  entre outros. Há de se destacar também o patenteado sistema PETFOM que substitui a espuma dos colchões e sofás pela lã de PET que não oxidanão mofa e mantém excelente desempenho em resiliência por muito mais tempo.

Há mais de 20 anos, a Trisoft já havia se transformado pensando no futuro das próximas gerações.

E você já pensou em transformar seus ideais em atitudes?