lixo plástico

Mar de lixo plástico invade a República Dominicana

Um mar de lixo plástico invadiu as praias da Republica Dominicana. Em seis dias foram recolhidas mais de 360 toneladas de lixo.

Lixo plástico: As imagens que estão a correr o mundo mostram como ficaram as normalmente paradisíacas praias das Caraíbas, na República Dominicana, depois de serem invadidas por toneladas de lixo.

Em apenas três dias foram recolhidas 30 toneladas de plástico na praia de Montesinos, em Santo Domingo, mas o trabalho está longe de estar terminado, depois de uma tempestade tropical ter empurrado para a costa a impressionante maré de lixo.

O vídeo foi publicado no Instagram pela Parley Oceans, uma ONG que se dedica à conservação dos oceanos, e tornou-se viral, trazendo à tona o importante debate sobre o uso e descarte de plástico na natureza, bem como seus efeitos devastadores.

A Trisoft e o fim do lixo plástico

Literalmente, a trisoft aboliu a palavra lixo, que se transformou em matéria prima. Com isso, mais de 1 bilhão de garrafas pet retiradas do meio ambiente se tornam produtos para serem usados em casas, edifícios, hotéis, automóveis, colchões e roupas, aliando sustentabilidade, conforto e beleza.

Não existe lixo, existe matéria prima valiosa e mal aproveitada. A frase é de Maurício Cohab, Diretor da Trisoft, que inaugurou o mercado de materiais reciclados e 100% recicláveis para mais de 70 setores da indústria brasileira e que hoje é o maior fabricante de materiais com lã de PET da América Latina. Entre os produtos, estão enchimentos, mantas e revestimentos para o mercado moveleiro, de decoração, construção civil, de produtos para bebês, academias de ginásticas e inclusive para o mercado hoteleiro.

Em pouco mais de 55 anos no mercado, a empresa já realizou transformações irreversíveis e que mudaram o mercado para melhor: a primeira delas foi decidir usar a lã de PET como matéria prima. Maurício conta que o processo não foi fácil e não apenas pela falta de maquinário: “tivemos que criar processos e tecnologias que ainda não existiam, mas o fator mais difícil foi a aceitação do mercado. Nossos clientes temiam que o resultado dos produtos não fosse o mesmo dos produtos já utilizados, como a espuma de PU”, revela, “mas a Trisoft provou o contrário, superando produtos tradicionais”.

Aos poucos, a Trisoft provou para seus mais de 25 mil clientes que o produto não só era equivalente, como ainda mais durável e econômico: “encontramos uma forma de vender o Petfom, que é nossa alternativa sustentável para a espuma, em placas que evitam o desperdício, por exemplo”. A segunda transformação abraçada pela Trisoft foi a eliminação da água no processo produtivo: “nós sabíamos que a sustentabilidade deveria ser completa, para que pudéssemos comprovar que ela é possível e não acarreta perdas. É preciso apenas a tomada de decisão pela transformação e, em pouco tempo, o retorno dos investimentos acontece”.

A Trisoft, hoje, permite e incentiva que seus clientes possam aderir à logística reversa: “nosso objetivo é que não haja mais descarte de colchões, por exemplo, já que nosso produto é reciclado e 100% reciclável, ou seja, permite que toda a peça seja reaproveitada de alguma forma”, enfatiza Cohab. Para que o consumidor final saiba qual produto tem essas características, a Trisoft lançou um selo verde, o Selo Trisoft, com o slogan “Tem Trisoft, melhor pro planeta”. O selo já teve adesão de vários clientes que começam, aos poucos, avaliar a opção de construir uma cadeia sustentável completa. “Nós acreditamos que é possível e estamos contribuindo para que o lixo deixe de existir”, finaliza o empresário.

SOBRE A TRISOFT

A Trisoft é a maior empresa da América Latina especializada em produção de mantas e distribuição de Fibras de poliéster. Sua lã de pet é reciclada e 100% reciclável, atendendo a demanda de logística reversa de produtos e sendo usada por mais de 25.000 empresas brasileiras. Há mais de 55 anos no mercado, com qualidade e responsabilidade sócio ambiental, a Trisoft atua em diferentes segmentos industriais com produtos non-wovens como mantas, fibras e feltros de poliéster.